É urgente!

25 09 2007

Como Peace One Day é todos os dias, tem de ser todos os dias, respondo hoje à sugestão 🙂

Escolhi um vídeo muito antigo porque o pacifismo não é uma ideologia recente. A guerra também não. E a vontade de manter o círculo vicioso tem muitos e poderosos interesses por trás.

E nós o que podemos fazer à nossa pequena escala? Pelo menos à nossa volta podemos tentar criar PAZ. É o que fazemos, certo? Paz! Paz! Paz!

Um capacete de guerra
tem um ar carrancudo.
Muito mais bela
é uma flor
tem tudo
para falar de paz
e de amor.

Mas se virarmos
o capacete de guerra
ele será um vaso
e é bem capaz
de ter uma flor
num pouco de terra
e falar de amor
e de paz.

Sidónio Muralha, Todas as Crianças da Terra.

Anúncios

Acções

Information

10 responses

25 09 2007
Entre linhas

Sou uma fã incondicional dos Beatles,a voz de John Lennon é inconfudível.
Adorei.
Bjs Zita

25 09 2007
Comandante Ludovicus Rex

Urgente, Bem Urgente! Boa escolha a do vídeo.
Kiss

26 09 2007
Méon

Mas este Ministério não merece a nossa paz… Eles declararam guerra aos professores e nós vamos sentar-nos na relva com isqueiros acesos, a abanar os braços e a cantar “PaaaaAAaaaaazzz!”

Acordemos, amigos!

26 09 2007
Gabi

Belo poema 😀
Tudo por um pouco de paz!

26 09 2007
Alena

Gostei do poema, simples e essencial. Um beijo!

26 09 2007
noche

vao lá ao meu blogggggg!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

tem novidades do henrique

28 09 2007
Victor Nogueira

Olá 🙂
O título do teu post faz-me lembrar o poema da Sophia cantado pelo Fanhais: «É preciso avisar toda a gente», Brecht e o Pe. António Vieira, também falam do mesmo tema, embora de maneiras diferentes. Nuns comentários que encontrarás no Mu(n)do Phonógrafo deixei um post em que se fala da paz: «Quinta-feira, 27 de Setembro de 2007
Dois comentários algures, na imensidão da WEB e não só ! »
Mas pela minha escrita deixo:

É a guerra o monstro que ceifa a vida
Ruína as casas, viola a criança;
Velhos, novos, não fogem à matança,
No campo a seara é já perdida.

O fogo e a peste, em grande corrida,
Afastam do burgo a bela festança;
O mal, a vida e natureza alcança.
Só dos loucos pode ela ser querida.

Homens, mulheres, crianças, lutam
Por outro mundo novo construir;
Cantam rouxinóis, bem alto voam águias.

Na verde planura os cordeiros vivam;
Na festa, na eira, todos a bailar,
P’la paz lutando, sem demagogias.

Victor Nogueira

Quano colaboras no Ao Sabor do Olhar?
Bjo
VN

30 09 2007
Lalage

Desculpem mais esta paragem forçada… Obrigada a todos pelos comentários que têm deixado por aqui.
Noche, gostei imenso das novidades do Henique.
Victor, eu não sei fazer quadras, a sério! E a minha cabeça anda cheia de coisas muito pouco poéticas 😉

30 09 2007
noelia

Tás a ver o que está a acontecer em Myammar… até causa arrepios… mas nós os europeus precisamos do gás para tomar banhos de água quentinha…

2 10 2007
noche

então ? computador novo…. e posts novos?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: