O que marca o tempo?

27 08 2008

Nos tempos antigos era o sino da igreja que dizia: acorda, almoça, trabalha, dorme.

Na escola, na fábrica é a estridência da campainha que manda começar ou parar de trabalhar.

Em Trás-os-Montes o clima comanda a divisão do ano em nove meses de Inverno e três meses de inferno.

Na ilha Graciosa as duas festas maiores, que vão do religioso ao profano, marcam o tempo em Natal e Carnaval.

Para a Paloma e a Bia o tempo é marcado por sons humanos: a felicidade do som rua e os sobressaltos do som banho.

Já o meu pai conhece dois tipos de dia: o dia de pesadelo em que o fisioterapeuta vem e o dia em que, ufaaaa, o fisioterapeuta não vem.

Pela minha parte sinto-me tentada a marcar o tempo em função do espaço: o tempo em Braga passa lento, o tempo em Lisboa voa.

Anúncios

Acções

Information

7 responses

28 08 2008
djamb

A velocidade do tempo é infinita, e só quando olhamos para o passado, é que temos consciência disso. O tempo ilude quem se aplica ao momento presente, de tal modo é insensível a passagem do seu curso vertiginoso. Queres saber porquê? Porque todo o tempo passado se acumula num mesmo lugar; todo o passado é contemplado em bloco, forma uma totalidade; todo ele se precipita no mesmo abismo. De resto, não é possível delimitar grandes intervalos nesta nossa vida tão breve. A existência humana é um ponto, é menos que um ponto. Só por troça é que a natureza deu a tão diminuta existência a aparência de uma grande duração, dividindo-a em infância, em adolescência, em juventude, em período de transição da juventude à velhice, finalmente em velhice. Tantos períodos num tão exíguo espaço de tempo!

Séneca, em “Cartas a Lucílio”

28 08 2008
Van Dog

🙂

1 09 2008
noche

e há o tempo que se passa em granada e o que se passa no parque das nações… a correr em ambos os casos lol

2 09 2008
Ressaca

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa…

7 09 2008
ilhascook

o nosso tempo divide-se entre as sonecas do julião
e os seus momentos de grande actividade e esprenhissividade!

9 09 2008
Noélia

Olá

Parece que Setembro marca o nosso tempo de voltar… até um dia!

Estamos bem e ainda com um pé em casa.
Amanhã começo a jornada, sim logo no primeiro dia do calendário escolar porque não há tempo a perder, alías nesta férias li numa parede de uma cidade abandonada a seguinte inscrição:

“Aquele que espera uma hora pode esperar eternamente”- não há tempo a perder, portanto!

10 09 2008
Lalage

Está visto, as interpretações do tempo são infinitas. É por isso que vou voltar ao tema mais vezes. Ou não fosse eu de História 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: