Balaustrada

1 12 2013

Gosto muito que os alunos coloquem perguntas desafiantes, daquelas que nos obrigam todos a partir à procura de uma resposta. Confesso que gosto particularmente quando sou eu a primeira a encontrar uma resposta num livro. É uma forma de lhes demonstrar que, por muito eficaz que seja pesquisar na Internet, os livros não deixam de ser um recurso muito fiável.

Desta vez a pergunta foi: “continua a chamar-se balaustrada se não tiver balaústre?” A resposta foi encontrada no Dicionário de Termos de Arte e Arquitectura:
Balaustrada





Ficções

7 07 2012

A primeira vez que li A Obra ao Negro, de Marguerite Yourcenar, tinha pesadelos. Diziam-me que eu acordava toda a casa aos gritos pelo Zenão, a avisá-lo dos perigos que o espreitavam. Nesses dias, as minhas conversas iam sempre ter ao Zenão, às suas aventuras, viagens, conversas e experiências. Havia quem me perguntasse de onde é que eu conhecia uma pessoa tão estranha e ficasse surpreendido por eu dizer que se tratava de uma personagem de ficção. Ainda hoje não sei se o mérito é da escritora que criou uma personagem tão verídica, ou se o meu eu adolescente era muito sugestionável. Tenho de reler o livro para tirar as teimas. Mas… sempre que pego no livro recuo tão fortes a impressão que me deixou.





Bom negócio

31 01 2012

Um aluno entra todo entusiasmado na aula:

– Professora, este sábado fiz um bom negócio na Feira da Ladra.

Triunfante tira da mochila um livrinho pequenino. O mesmo de que a prof.ª bibliotecária tinha lido umas páginas numa destas aulas:

Imagem

E eu sorrio a pensar que se calhar a escola vai fazendo uma diferença na vida de um ou outro aluno.





Le Silence de la Mer

21 11 2011

Quando eu estava no 11.º ano, a leitura obrigatória de Francês era um pequeno conto de Vercors, Le Silence de la Mer. O livro era horrível, capa preta e folhas debruadas a verde escuro. Passei grande parte dessas férias de Natal a adiar a leitura. Até que um dia comecei… e num ápice terminei.
E adorei.
Em Janeiro cheguei à escola desejosa de partilhar impressões, ideias, dúvidas, questões e… ninguém tinha lido. Claro! Recordo-me de ter passado um fim de semana a traduzir o conto para que eles tivessem uma ideia do enredo. Sem grande sucesso. Foi pena porque, como nunca fui muito de falar nas aulas, muito menos em francês, o meu entusiasmo foi desfalecendo.

Voltei a lembrar-me deste livro porque estou a preparar as próximas aulas sobre o sempre deprimente tema da II Guerra.

Entretanto, quem não conhece a obra pode ler uma recensão aqui, ou ici.





Isto anda tudo ligado

7 10 2011

Aproveitando o feriado de 4ª feira, finalmente comecei a ler a sério o livro de Teolinda Gersão, A Cidade de Ulisses. Adoro, adoro.

Como é que eu ainda não conhecia esta autora?

tzztzztzz A Zé anda a dormir.

Se ler Teolinda Gersão é um prazer, ouvi-la não é menos. Comprovem:





Leitura

4 05 2011

De uma assentada recebi duas sugestões, que apesar de serem imperdíveis, eu vou perder por não estar em Lisboa:

A primeira é já amanhã: uma tertúlia com o Professor Mattoso e todos os coordenadores da História da Vida Privada em Portugal.

A outra é mais para o fim do mês (no ano passado foi um sucesso, que eu sei):





um bom livro

20 02 2011

da leitura desta acertada tira que vi na Moura Aveirense:

ocorreram-me duas questões:

qual foi o último bom livro que li/reli? qual foi o último grande livro que li/reli?
as respostas estão na pilha de livros que fotografei, mas não digo qual deles responde a cada pergunta.
guardo o suspense para dar um toque assim… lalageano… ao post e (quem sabe?) descobrir até que ponto os visitantes do cantinho me conhecem.

são eles, da esquerda para a direita, de cima para baixo:

Gonzalo Torrente Ballester, Don Juan, …
H. de Balzac, Úrsula Miroüet, …
Fernando Rosas, Lisboa Revolucionária (1908-1975), …
Don DeLillo, O Corpo enquanto arte, …
Edward T. Hall, A Dimensão Oculta, …
Cees Nooteboom, O (Des)Caminho para Santiago, …
Lars Saabye Christensen, Meio-Irmão, …
Oliver Sacks, Musicofilia, …
José Ruy (coordenação de Amadeu Ferreira), Mirandês, História de uma língua e de um povo, …